Visitantes da quarentena #4: Pomba-asa-branca

Chegamos à coluna de número 50 com mais um visitante da quarentena. Agora é a vez da nossa pomba-asa-branca.

Chegamos à coluna de número 50 com mais um visitante da quarentena. Agora é a vez da nossa pomba-asa-branca (Patagioenas picazuro).

Essa ave possui a cabeça e as partes de baixo em um tom de marrom vinho, nuca prateada e manto roxo metálico, costas cinza, asas marrom claro com pontas brancas, que lhe confere o nome. Em sua cabeça se destaca a pele orbital vermelha, sendo essa mais clara na fêmea. Configura-se, como uma das maiores de sua espécie, com aproximadamente 35 centímetros.

Apesar de ser famosa como “a ave do sertão”, pode ser encontrada do sul ao nordeste e centro oeste, disputando com a rolinha (Columbina talpacoti) a fama de mais comum em nossa região serrana do estado do Rio de Janeiro.  Tal ave pode ser vista em bandos de dez indivíduos e em casal. Quando há um comedouro regularmente abastecido (de grãos, canjica), costuma visitá-lo e comer com voracidade.

A pomba-asa-branca (Patagioenas picazuro) é largamente confundida com pombo, tanto que a chamam de Pomba-asa-branca, por seu formato, cor e hábitos serem muitos semelhantes. No entanto,  ela prefere ficar em árvores e locais com vegetação, diferente do pombo-doméstico (Columba livia) que frequenta a cidade, casas e terrenos com lixo.

Entre seus predadores, estão diversos gaviões, sendo o gavião-carijó (Rupornis magnirostris) sua principal ameaça em nossa região. Outro predador não convencional é o gato doméstico, que pode atacá-la, se esta der bobeira.

A sua dieta é simples, alimentando-se de sementes e pequenos frutos e que são coletados no solo. Sendo granívoros e frugívoros, frequentam plantações de milho e feijão, após a colheita.

A Asa Branca reproduz-se o ano todo no sudeste, por isso é uma espécie numerosa apesar da postura de um único ovo por vez, que é incubado pelos pais, em até 19 dias. O casal também se encarrega de alimentar o filhote com o leite do papo, substância em forma de papa que sai do seu papo.

É uma espécie fácil de ser observada, inclusive quando passa em bando. Sendo altamente adaptada a vida urbana, seu canto é bem característico e pode ser escutado a seguir.