O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.

Procura por atendimento em casos de gripe aumenta em Nova Friburgo

Enquanto a Covid-19 dá sinais de rendição, com UTIs zeradas de internações e óbitos estagnados há mais de um mês, Nova Friburgo vê aumentar a procura nas emergências dos hospitais e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de pessoas com sintomas de gripe, como febre alta, dor de garganta e tosse.

A equipe de Vigilância em Saúde do município está realizando um levantamento para analisar o real cenário epidemiológico, informou a Prefeitura. A orientação é que em casos de sintomas graves, a população busque atendimento e assistência nas unidades hospitalares. Já em casos de sintomas leves, basta ir até uma das unidades básicas de Saúde (UBS).

Vírus influenza A H3N2

Os surtos de gripe causados pelo vírus influenza A H3N2 se espalham pelo Brasil e já atingem ao menos dez estados. Em cinco – Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco e Paraná – foram registradas mortes pela doença. Surgido em Hong Kong na década de 1960, o vírus influenza A (H3N2) sofreu uma nova mutação na Austrália este ano, suficiente para aumentar os atendimentos nos prontos-socorros e internações nos hospitais.

O vírus H3N2 é um dos subtipos do vírus influenza A. Conhecido oficialmente como influenza A (H3N2), esse vírus é sazonal. Ele circula entre humanos desde uma epidemia em Hong Kong em 1968. Mas foi apenas a partir de 2005 que ele começou a circular pelo mundo mais frequentemente.

Como os vírus influenza passam por mais mutações do que o coronavírus, as vacinas precisam mudar todos os anos para garantir eficácia. A vacina contra a gripe usada no Brasil já tem em sua composição a H3N2, mas não se trata da variante Darwin, a que agora circula no Rio e em São Paulo.

Desde que a variante foi encontrada, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda uma nova formulação para as vacinas contra a gripe que serão aplicadas em 2022, agora com a H3N2 Darwin.

Mesmo assim, a vacina à disposição “ajuda a pelo menos reduzir hospitalização”, diz Cristina Bonorino, imunologista da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia). “Essa variante não está na vacina, mas a H3N2 está. Então a vacina tem alguma proteção.”

Rio coloca em prática o plano de contingência para epidemia de Influenza

Ômicron

Além da gripe, outro vírus que preocupa agora as autoridades sanitárias é a nova variante da Covid-19, a Ômicron. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou na segunda-feira, 20/12, o primeiro caso da variante Ômicron da Covid-19 no Estado, na cidade do Rio de Janeiro. O instituto destacou que é um caso importado e que ainda não houve transmissão do vírus em solo carioca.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais