O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.
lateral-160×200
lateral-160×200

Visitantes da quarentena #3: Bico-chato-de-orelha-preta

Visitantes da quarentena #3: canto do Bico-chato-de-orelha-preta (Tolmomyias sulphurescens)

Hoje, na série visitantes da quarentena, temos uma espécie não tão popular e conhecida, mas que é comum nas nossas matas e bordas de florestas: o bico-chato-de-orelha-preta (Tolmomyias sulphurescens). Seu canto é chamativo, com um assobio alto, que possui duas ou três notas agudas, com o primeiro mais curto.  Canta o ano todo, sendo que de julho a dezembro emite o chamado durante o dia todo.

Mede em torno de 14 centímetros, tem a cabeça cinza, com uma área branca próxima dos olhos e que vai até o bico, que é escuro em cima e claro em baixo. O adulto tem seu olho é acinzentado, diferindo do jovem, que é amarronzado. As penas são predominantemente amarelas, com alguns detalhes negros.

Ela não é uma ave fácil de notar, pois sua cor pode se confundir nas folhagens  no sol, mas seu canto, quando aprendido (e está longe dos mais difíceis), ajuda a identificá-la com facilidade.  Costuma estar ativo nas horas mais quentes do dia, e muitas vezes, se mistura a bandos de saíras, cambacicas e outros. Inclusive, se emitirmos chamados de saíras ou afins (playback), costuma agitar-se. com ressalvas, de que o playback não deve ser usado indevidamente a fim de estressar os animais.

Para esse registro, eu notei seu canto e observei sua atividade, e assim pude clicá-lo. Geralmente, ao emitir o chamado, ele fica mais ativo, dando a chance de admirar e fotografar. Para quem pretende observá-la, é preciso ter atenção, paciência e prestar atenção em seu canto, que se segue é facilmente aprendido.

Uma curiosidade em relação aos hábitos do bico-chato-de-orelha-preta (Tolmomyias sulphurescens) é o fato de se associarem a insetos sociais (abelha e vespa) para que possam usar a agressividade destes a fim de obter sucesso reprodutivo. Habita parte média da mata e até cerradão, mata ciliar, mas sem inundação. Ocorre em todo Brasil, mais frequente no sul e sudeste e na nossa região serrana, habita fragmentos de matas perpassando para bordas. Uma vez visto, é fácil segui-lo, pois desloca-se em voo curtos de um poleiro outro.

O interessante de se observar pássaros nesta quarentena, é constatar a diversidade de aves que podem vir nos fazer uma visita, sejam elas grandes ou pequenas. Muitas vezes, por estarmos mais atento, ou em casa por períodos maiores, notamos aves que não percebíamos ou dávamos atenção anteriormente. Por isso a observação de pássaros nos arredores de casa é uma boa atividade nesses tempos desafiadores à novas atividades.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais