Alma-de-gato (Piaya cayana)

Alma-de gato (Piaya cayana)

Classificação Científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Cuculiformes
Família: Cuculidae
Subfamília: Cuculinae
Espécie: P. cayana
Nome Científico: Piayacayana
Nome em Inglês: SquirrelCuckoo
Estado de Conservação: pouco preocupante

Na coluna de hoje termos este curioso pássaro, que tem seus hábitos comparados ao de um esquilo pelo modo como pula entre os ramos de folhagem. Vamos falar da travessa alma-de-gato (Piaya cayana).

Bonita e grandiosa, dizem ter um olhar “sanguinário”, devido ao anel periorbital em vermelho bem chamativo, assim como sua íris. Sua cauda longa (volta e meia é chamada de rabilonga) é sua principal característica, ainda mais a interna, que possui manchas brancas. Esta é aberta quando a ave voa, fazendo a cauda dobrar de tamanho, ajudando a ave planar com facilidade. Sua barriga é cinza e o dorso marrom-avermelhado.

Sua alimentação é constituída basicamente por insetos. É interessante observar que ela come até as lagartas com espinhos e aparentemente venenosas. Come também frutinhas e ovos de outras aves, o que é motivo para pássaros como suiriri e outros com ninho no local, o afugentem. Apesar de parecer, não é uma predadora voraz.

Ave que aparece nos versos da canção “Alma de gato” de Tavinho Moura
“[…] Trinca ferro, alma de gato
Saci da mata tempera a viola
Os seres vivos que há
O homem não tem razão
Da própria vida matar
Ei andar, andar, andei […]”

Sua distribuição é por todo o Brasil, e com grande ocorrência na América Latina. Pode ser observado facilmente em bordas de floresta, bosques e matas, além de quintais maiores com presença de árvores.

Umas curiosidades a cerca desta ave é que, segundo uma lenda amazônica, a alma-de-gato (Piaya cayana) possui um canto fatídico: quando canta à porta da casa de alguém, este está com os dias contados. E outra é que houve um estudo científico que analisou o conteúdo de seu estômago, concluindo que 50% do seu conteúdo era de lagartas que são pragaspara nossas lavouras e cultivos. O que comprova sua importância como controle biológico, o queé muito útil aos agricultores.

Alma-de gato (Piaya cayana) - Gabriel Monnerat

Esta fotografia de capa foi realizada no município de Cantagalo-RJ, onde esta espécie é muitocomum e facilmente avistada, assim como em todo o estado. Muitas vezes é possível observá-la em casais. Costuma ser vista também próxima às construções humanas e em parques com movimento de gente. Mas apesar do tamanho é uma ave discreta e se não olhar, e procurar, não vai notá-la. É uma das aves que rende fotos ótimas, principalmente quando abre a cauda.

Coluna anterior: Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris)

Confira meu Instagram e registros WikiAves!