Lente Natural: Sagui-de-tufos-pretos (Callithrix penicillata)

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Subordem: Haplorrhini
Família:  Cebidae
Subfamília: Callitrichinae
Género: Callithrix
Espécie: Callithrix penicillata (É. Geoffroy, 1812)
Estado de conservação:  Espécie pouco preocupante


Essa espécie de sagui, e não mico,como muitos chamam, pode ser facilmente confundida com a de tufos brancos, que ocorre em grande quantidade no Estado do Rio de Janeiro, principalmente na capital e arredores. A espécie de saguis da foto ocorre principalmente em área de cerrados do Brasil central,  nos estados da Bahia, Minas Gerais, Goiás, Piauí, Maranhão e norte de São Paulo, ao norte dos rios Tietê e Piracicaba. Os saguis-de-tufo-preto são facilmente encontrados fora de seu habitat principal, porque foi uma espécie dispersa e introduzida pelo homem em diferentes ambientes, inclusive o urbano.

Primatas de pequeno porte, altamente adaptáveis, desde florestas densas e primarias, até locais altamente modificados pelo homem, como as cidades. Eles não se acanham com a presença humana, sendo facilmente atraído por frutas. Há inúmeros relatos, de que eles entraram nas casas para comer frutas. No entanto, apesar de se aproximarem do homem com facilidade, deve-se evitar tocá-los, pois, como animais silvestres, podem ficar com medo, atacar e morder. Além disto, deve se evitar dar alimentos para eles, pois assim podem aumentar sua taxa reprodutiva, e afetar diretamente a sobrevivência de aves, lagartos, anfíbios e outros mamíferos uma vez que se alimentam também destes animais.

Estes saguis, como outros, se comunicam por sons, chamado vocalização, que viaja pelas matas, o que é facilmente escutado e identificado, quando há a presença deles, Uma outra forma de comunicação e demarcação de território, é através de odores:  ao esfregarem-se na árvores deixam nelas seus feromônios.

Estas fotografias, foram realizadas no município de João Monlevade – MG, onde estes ocorrem com vasta frequência, devido a boa preservação de Mata Atlântica. Para clicá-los, procure locais próximo de matas, com fruteiras, e não se acanhe. Mas não faça movimentos bruscos. Eles sempre proporcionam boas fotos, pois se não se assustarem, não irão embora tão rápido porque são bastante curiosos. 


O ideal para este primata, é que se preserve as Matas, e inclusive locais de fruteiras, pois assim garantiremos a sobrevivência deles, que são o tipo de primata mais serelepe das nossas matas. Apesar de sua distribuição na nossa região ser desigual, municípios que abrangem a Serra do Mar e dos Órgão, abrigam maior concentração deste primata, e de outros, como o sagui-de-tufo branco. Mas mesmo assim, ao andar em nossas Matas, não deixe de observar no alto das árvores, nos galhos por ai. Quem sabe não estão pulando sobre nossas cabeças, e nos observando, bem curiosos?

Acesse também meu Facebook e Instagram!
Serra News

Serra News

O melhor portal de notícias da Região Serrana do Rio de Janeiro.