O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.

Trajano de Moraes faz testes para voo livre na Pedra da Torre

As cidades da Região Serrana do Rio de Janeiro são muitíssimo propensas para o turismo ecológico rural, com cachoeiras, fragmentos de florestas e locais onde a natureza é plenamente exuberante. Pensando nisto, a Prefeitura de Trajano de Moraes está investindo no ecoturismo e na última semana (10 de março) realizou um voo livre na sede do município pela primeira vez, e o realizador da proeza afirmou ter ficado muito satisfeito com as condições apresentadas neste primeiro voo.

O primeiro a se aventurar foi Robson Pereira Francisco, de 62 anos, bombeiro militar e Major da reserva, que tinha como objetivo avaliar as condições da Pedra da Torre para a prática da modalidade. O “vovô voador”, como ele mesmo se intitula, voou por cerca de 20 minutos, e afirmou que, não fosse pela agenda, poderia ter voado por muito mais tempo.

No município serrano de Cantagalo, por exemplo, a Pedra do Parapente é uma perfeita opção para a prática do esporte-aventura, que tem acesso pelo bairro São José e também pela cidade de Cordeiro. Infelizmente, o local não recebe incentivo ou investidas do poder público ao turismo e tem seus cuidados mantidos pelos próprios praticantes da modalidade.

Retornando o pensamento para Trajano de Moraes, o subsecretário de Indústria, Comércio e Turismo disse que é a realização de um sonho pessoal desde a adolescência. “É a realização de um sonho meu. Trazer aqui o Robson foi o primeiro passo para fazer a preparação do ponto para construir uma rampa e tornar Trajano uma referência na modalidade” afirmou Tatá, que fez questão de agradecer o apoio do prefeito, Rodrigo Viana para o andamento do projeto.

Trajano de Moraes faz testes para voo livre na Pedra da Torre

“O mais importante dessa visita e desse voo foi constatar a existência de dois pontos oficiais de pouso, um já explorado e outro a ser testado nas próximas vindas do Robson”, seguiu o subsecretário Tatá, explicando que mais dois ou três voos técnicos como este ainda serão necessários para que se possa bater o martelo sobre a rampa.

O subsecretário ainda reforçou que, atualmente, só é possível chegar ao local por meio da trilha da Pedra da Torre, que é de nível moderado, com duração de cerca de 40 minutos e sombra por todo o percurso.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. AceitarLeia mais