O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.

Prefeitura de São Fidélis se manifesta sobre destruição da Pira Olímpica

Ao que parece, a cidade de São Fidélis, no Norte Fluminense, está perdendo pouco a pouco os traços de sua riquíssima história. Após a repercussão do artigo do Serra News relatando a destruição da Pira Olímpica, a Prefeitura Municipal se pronunciou oficialmente sobre a retirada do monumento histórico da cidade. Moradores ficaram indignados e cobram o sumiço de outro monumento que homenageava famílias libanesas.

A Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo do município de São Fidélis, através de seu secretário Adriano Maia, vem, por meio desta, tranquilizar os munícipes informando que a Pira Olímpica se encontra guardada e em breve será realocada para que tenha o merecido destaque na parte frontal da Quadra de Esportes Humberto Lusitano Maia, que agora possui medidas oficiais” – diz trecho da nota.

Informa que a demolição do monumento onde ficava depositado o símbolo olímpico, localizado próximo aos banheiros, atrás da quadra, se deu em virtude de projeto arquitetônico de reforma e ampliação da quadra e entorno para melhor atender a população. O desafio do urbanista é entender todas as transformações que acontecem na cidade e fazer adaptações que tragam organização e qualidade de vida” – conclui a nota.

Monumento das famílias libanesas

Entretanto, questionamentos estão acontecendo nas redes sociais sobre o sumiço de outro monumento histórico. Trata-se de monumento que homenageava famílias libanesas que deram sua contribuição para o desenvolvimento e a história de São Fidélis. Desde quando a reforma da quadra foi iniciada na gestão do falecido prefeito Luiz Feneme, a pedra histórica que ficava em frente à quadra Humberto Lusitano Maia, também foi retirada.

Dentre os nomes, está o doador do relógio da Igreja Matriz de São Fidélis, destacam-se as famílias: Alexandre, Abichacra, Assed, Antonio Abi-Kair, Abi-Harbe, Abidalla, Aid, Chebabe, Chaim, Damião, Estefam, Frem, Felix, Castin, Fadel, Fertajala, Jorge, Kalil, Latufe, Nassar, Kik, Nemem, Nader, Nacife, Murad, Melhem, Mansur, Mattar, Quinan, Quitar, Richaid, Rifan, Richa, Simão, Said, Skury, Trad, Uebe, Youssef, Zeguibe.

Pira Olímpica

Inaugurada em 1972, no Governo do prefeito Humberto Maia, neste ano aconteceu os Jogos Olímpicos de Munique e se comemorava os 150 anos de Independência do Brasil, assim houve uma grande comemoração por parte do Governo onde a tocha olímpica percorreu todas as cidades do país. Quando chegou em São Fidélis, os alunos dos colégios se revezavam de dia na guarda da tocha.

“Eram 10 minutos, eu como aluno do Ginásio Fidelense em traje de gala fiz parte da guarda junto com o Saudoso Dozinho (Carlos Magno Sido)” – relembrou Sidney Siqueira. “Evolução ou destruição? Se observarem a fotografia da primeira quadra sendo construída no centro da cidade, a Pira Olímpica já tinha sido construída primeiro. Nesta época eles já queriam trazer uma mensagem que naquele local teria prática de esportes” – indignado, escreveu Weltter Manhaes.

Os Jogos Olímpicos cumprem um papel primordial ao fomentar a união entre todas as nações do planeta. As Olimpíadas são carregadas de ritos tradicionais como o translado da tocha, o acendimento da pira olímpica, a entrega das medalhas, as cerimônias de abertura e de encerramento, entre outros.

Monumento histórico de São Fidélis, Pira Olímpica é destruída

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais