O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.
lateral-160×200
lateral-160×200

Prefeitura fecha com Faol em R$ 4,8 milhões para continuar em Nova Friburgo

Após inúmeros desdobramentos para inserir o Grupo Itapemirim no serviço de transporte público em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, a Prefeitura Municipal acabou fechando um acordo com a Nova Faol por contrato emergencial de 12 meses, nesta terça-feira, 31 de agosto, após quase 3 anos sem cobertura contratual.

O Grupo Itapemirim havia sido escolhido para administrar o serviço de transporte público da cidade, em contrato firmado em 25 de junho deste ano. Entretanto, a empresa enviou um ofício ao Executivo em agosto, pedindo que a Prefeitura reavaliasse a possibilidade de anulação do contrato, o que deixou o prefeito Johnny Maycon (Republicanos) sem reação.

Friburgo: Itapemirim desiste de contrato e prefeito fala em ‘multa milionária’

Após tratativas mediadas pelo Juiz Fernando Luis Gonçalves de Moraes e Promotora Claudia Canto Condack do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), a Prefeitura de Nova Friburgo chegou a um acordo com a Nova Faol por contrato emergencial de 12 meses. O valor da tarifa permanecerá em R$ 4,20 com subsídio de 400 mil por mês – um total de R$ 4,8 milhões.

No momento da audiência o representante da empresa apresentou proposta de subsídio de 700 mil por mês, que foi imediatamente negada pelo Município. Segundo a Prefeitura de Nova friburgo, durante este período, a administração municipal continuará com os trâmites para a realização do estudo e elaboração do edital de licitação para solucionar o problema em definitivo.

Tendo em vista que no início das negociações, a Nova Faol havia solicitado o reajuste da tarifa para R$ 5,90 ou subsídio de R$ 1,5 milhão/mês para continuar operando no município, a Prefeitura de Nova Friburgo entende que o acordo firmado nesta terça (31) é satisfatório em proteção aos cofres públicos e garantia jurídica que não havia desde setembro de 2018.

Ainda está previsto no acordo a realização de uma perícia judicial para apurar os possível desequilíbrio em desfavor de uma das partes para que seja realizado o acerto no futuro e também haverá suspensão temporária de tributo municipal para garantir o 13º dos funcionários da empresa, destacando que o mesmo será pago no momento posterior, não sendo portanto renúncia de receita.

Empresa que assumiu transporte em Friburgo, Grupo Itapemirim vive crise

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais