Desordem ainda marca trânsito na cidade poema São Fidélis

Trânsito de São Fidélis precisa de uma organização geral

A falta de regulamentação local, a ausência de semáforos, a falta de educação de condutores e pedestres vem trazendo uma série problemas terminando por muitas vezes em graves acidentes em São Fidélis, no Norte Fluminense.

É muito comum carros, motos e até ônibus e caminhões estacionados em cima das calçadas, em frente de garagens, estacionados em fila dupla, na contra mão e até em cima de passarelas. E quando em movimento sempre desenvolvendo altas velocidades em locais de grande concentração de pessoas. O ciclista insiste também em pedalar na contra mão e o pedestre apesar do risco andar no meio da rua.

Não é de hoje que a população reclama do trânsito da cidade poema de São Fidélis. Inúmeras reclamações acontecem ao longo do ano dando conta da desordem que é o trânsito, principalmente, no centro. Moradores pedem a organização do poder público para solucionar esse problema.

O CTB, entre muitas inovações, introduziu o conceito da municipalização do trânsito, ou seja, a integração do município ao Sistema Nacional de Trânsito (SNT). Dessa forma, os municípios adquirem a responsabilidade sobre o trânsito da cidade, através da criação de Órgãos Executivos Municipais de Trânsito.

As prefeituras tornam-se responsáveis pelo planejamento, projeto, operação, fiscalização e educação de trânsito, não apenas no perímetro urbano, mas também nas estradas municipais. Assumem as questões relacionadas ao pedestre, à circulação, ao estacionamento, à parada de veículos e à implantação da sinalização, atendendo de forma direta as necessidades da comunidade.

Por menor que seja a cidade, deve ser feito tratamento especial para a circulação segura dos pedestres, ciclistas ou carroças. O trânsito de São Fidélis precisa ser reformulado, pois não é feito só de automóveis ou caminhões.