Automotivação e o efeito bumerangue

A automotivação é a capacidade de motivar a si mesmo, sendo considerada uma das competências mais brilhantes da autoliderança. Quando desenvolvemos essa habilidade, nos tornamos verdadeiramente livres. O que eu quero dizer com isso? Que quando a motivação vem de dentro, do nosso estado interno, conseguimos nos manter motivados independentemente de qualquer circunstância externa, por isso que considero esta competência como um forte indicador de liberdade.

Por outro lado, quando dependemos de outras pessoas, coisas ou situações para nos motivar, nos tornamos escravos. Com efeito, a nossa vida se transforma em uma gangorra de emoções. Essa condição interfere também, na consistência do que desejamos concretizar, desde uma simples mudança de hábito até a realização de grandes objetivos profissionais.

De acordo com um estudo realizado em Harvard, a felicidade vem antes do sucesso. E o que é felicidade? A felicidade na minha concepção, é um estado interno e quando temos essa clareza, temos o ouro. E quem tem o ouro, faz as regras. Em outras palavras, quem tem o controle de si, tem o poder da escolha e nada que está fora dessa esfera, pode interferir. Gente do céu, isso aqui é muito poderoso!

Mas Aretuza, o que tem a ver felicidade com automotivação? Pois bem, quando estamos felizes, somos capazes de produzir muito mais. Consequentemente, obtemos mais sucesso em nossas metas e objetivos. E de bônus, menos frustração. É uma lógica proporcional de matemática simples: quanto mais automotivação – mais felicidade – mais disciplina – mais realizações – mais sucesso – menos frustrações.

Eu não estou dizendo aqui que o mundo é um mar de rosas. Até porque o foco aqui, não é sobre o mundo, é sobre você enquanto ser humano. O mundo é não linear, e que bom, pois é exatamente essa não linearidade que nos permite evoluir constantemente. Obviamente que, não são todas as pessoas que possuem essa visão. Contudo, quem a possui, conduz a vida com muito mais leveza, serenidade, saúde e qualidade.

E como desenvolver a automotivação? Criando gatilhos internos. Simm, somente quando criamos as nossas próprias estratégias que conseguimos adquirir consistência com eficiência e resultados eficazes. Mas o que são gatilhos, Aretuza? Gatilho é um estímulo emocional que pode incitar sensações negativas ou positivas. A intenção aqui é apresentar esta ferramenta para ser utilizada positivamente.

Por exemplo: 1. Recordar-se de experiências onde explosões de emoções positivas foram vivenciadas e trazer essas emoções para o momento presente; 2. Criar uma playlist com músicas favoritas para ouvir durante o dia; 3. Criar mantras com palavras ou frases que lhe empoderam ou com objetivos que deseja alcançar (dê o comando em voz alta ou silenciosamente para si mesmo quantas vezes forem necessárias. Dica: o subconsciente incorpora melhor na hora de dormir e logo ao acordar); 4. Dançar; 5. Cantar; 6. Meditar…

Por fim, existem inúmeros exemplos. Já encontrou o que se encaixa e funciona na sua vida? Maravilha, esta será a sua âncora de automotivação. Ainda não? Vá de encontro experimentando, criando e inovando constantemente que em algum momento a descoberta acontecerá. Eu chamo este método de estratégia da guerrilha, pois pode ser aplicado em diversas situações. Basta começar por uma condição específica que logo aparecerá o que eu chamo de efeito bumerangue, pois impactará em todas as esferas da sua vida. Sabe por quê? Porque ocorrerá uma mudança da energia interna, a qual será capaz também, de refletir em tudo ao seu redor. Uauuuuu!!! Brilhe!!

Beijo no coração e até a próxima coluna.

Drª Aretuza Lattanzi

Drª Aretuza Lattanzi

Fundadora do movimento inteligência holística, estrategista, mentora, palestrante e escritora.