Macuco registra caso suspeito de Covid-19 e anuncia barreiras sanitárias

A Prefeitura de Macuco informou nesta quarta (25/03) que registrou o primeiro caso suspeito de coronavírus no município. Veja também casos em Cantagalo e Cordeiro da doença.

Municípios da Região Serrana do Rio aderiram as orientações dos órgãos de saúde e tomaram uma série de medidas na prevenção contra o novo coronavírus. Os municípios de Cantagalo, Cordeiro e Macuco interditaram suas praças e desinfectaram ruas nesta segunda-feira (23).

A Prefeitura de Macuco informou nesta quarta (25/03) que registrou o primeiro caso suspeito de coronavírus no município. De acordo com a Prefeitura, o paciente está em isolamento domiciliar, estável e com melhora de quadro.

O prefeito Bruno Boareto também anunciou o fechamento dos estabelecimentos considerados não essenciais por 15 dias, e anunciou que haverá barreiras sanitárias nas entradas da cidade. No primeiro momento elas irão dar orientações, instruções, e no segundo momento, irão restringir o acesso.

Já em Cantagalo, as repartições municipais, exceto as relacionadas à Saúde, não estão funcionando, bem como as lojas. Funciona em Cantagalo somente os estabelecimentos essenciais como padarias, supermercados, postos de combustíveis e farmácias. A movimentação nas ruas do município é tranquila.

No município de Cordeiro, o prefeito decretou o fechamento do comércio e mandou interditar parquinhos infantis, praças e academias ao ar livre. Na cidade, os dois primeiros casos suspeitos de Covid-19 foram descartados.

Portanto, locais públicos destas cidades passaram por desinfectação. De acordo com dados oficiais, Macuco registra o primeiro caso de coronavírus, enquanto Cantagalo trata dois casos sob investigação e Cordeiro, 4 casos suspeitos do Covid-19.

Pronunciamento

O presidente da república, Jair Messias Bolsonaro, em pronunciamento na noite desta terça-feira, disse que: “O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos e o sustendo das famílias preservado. Devemos sim, voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, fechamento de comércio e confinamento em massa.”

Mas o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel se manifestou logo após o pronunciamento muito criticado do presidente. “A manifestação em cadeia em rádio e televisão do presidente contraria as determinações da Organização Mundial de Saúde [OMS]. Nós seguiremos firmes seguindo as orientações médicas. Eu peço a você, por favor, que fique em casa”, disse Witzel.

Veja também: