Região dos Lagos: Pai é preso suspeito de alugar casa para estuprar filha

Região dos Lagos: Pai é preso suspeito de alugar casa para estuprar filha

Um homem foi preso acusado de estuprar a própria filha no último dia 04 de setembro, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. A suspeita é de que os abusos tenham começado quando a vítima tinha apenas quatro anos de idade. O pai chegou a alugar uma casa numa rua de terra batida, em um bairro mais distante, para praticar o crime.

A investigação aponta que o estupro mais recente ocorreu na última terça-feira (3/09), e que o homem mantinha total vigilância sobre a menina para garantir a continuidade do crime. A polícia começou a acompanhar o caso após receber informações da escola da vítima e, após as investigações, solicitou a prisão cautelar temporária do suspeito. Ele foi detido quando ia buscar a filha no colégio, acusado de estuprar a própria filha.

“Nos últimos dias, a madrasta desconfiou que poderia haver alguma coisa estranha e o denunciou. O que descobrimos é que a menina começou a ser abusada pelo homem há dois anos, mas há indícios que o primeiro abuso tenha ocorrido aos quatro anos de idade. Hoje, ela tem 17. Ele a ameaçava dizendo que, se ela falasse algo, ele seria preso por culpa dela. E que, por conta disso, ele se mataria e ela seria a responsável” — explicou o delegado Renato Mariano, titular da 132ª DP.

Além do terror psicológico, o homem isolava a filha para evitar suspeitas. Ele monitorava a menina em tempo integral e inventava razões para que ela faltasse a aula para facilitar os abusos, segundo o delegado.

“Ele colocou um aplicativo de câmera para vigiar a menina, e tinha um controle extremo sobre ela. Ele chegou a forjar uma doença para que ela não fizesse educação física e, no dia da aula, abusava da menina em sua própria casa. Em depoimento, ela relatou que estava muito agoniada e que se sentiria culpada se ele se matasse. Por conta dos abusos, ela queria tirar a própria vida. A escola tomou ciência, nos comunicou e pedimos a prisão dele” — contou Mariano.