Friburgo: Postes no meio da ciclovia fazem parte do projeto de R$999 mil

Friburgo: Postes no meio da ciclovia de R$999 mil fazem parte do projeto

Ciclovia Nova Friburgo: A Prefeitura de Nova Friburgo está executando uma das obras mais esperadas entre as anunciadas no “pacotão de obras”: a via compartilhada no trecho entre a Rua Duque de Caxias (Paissandu) e o trevo de Duas Pedras. O objetivo do projeto é estimular uma alternativa à mobilidade urbana, com estrutura e que ofereça segurança aos usuários.

Em meados de julho a Prefeitura deu início às obras de construção da ciclovia, orçada em R$ 999 mil. As obras mal haviam começado, e já surgiram várias especulações sobre o projeto. Os questionamentos são sobre a “disputa de espaço” entre ciclistas e pedestres, a largura da calçada, a falta de uma grade de proteção, além das condições da própria calçada.

Diferentemente de uma ciclovia tradicional, a qual obrigatoriamente deve cumprir normas técnicas que elevariam em quatro vezes o seu custo de implantação, o projeto executado pelo município prevê um espaço ciclável compartilhado com pedestres, dispondo de quesitos de segurança indispensáveis.

A ideia é aproveitar o espaço já existente, usando-o e o adaptando para o uso compartilhado. Por conta do alto custo de remoção e pelo fato dos postes de energia no trecho da Av. Costa e Silva não trazerem prejuízo ao trajeto, eles foram mantidos. No projeto foram concebidos desvios laterais nestes pontos, onde também estão previstas lajes de contenção na margem do Rio Bengalas. Em toda extensão da via também serão instalados nove bicicletários em áreas de recuo.

A via compartilhada que está sendo implantada na cidade contará com sinalização horizontal e vertical (de regulamentação, advertência e indicação), indicando o uso compartilhado e marcando as áreas destinadas para caminhada de pedestres e onde é para os ciclistas. O percurso total é de quatro quilômetros a partir da Rua Duque de Caxias (Paissandu) até a Ponte da Rua Sete de Setembro, em ambos os lados do rio, seguindo pela Av. Euterpe Friburguense até a ponte da Rua Padre Luiz Yabar, por onde chega à Av. Rui Barbosa e prossegue margeando o Rio Bengalas e avançando pela Av. Costa e Silva até o trevo de Duas Pedras.

Toda a via compartilhada terá intercessões, rebaixamentos nas pontes, nivelamento de piso, gradis de proteção, segregadores (blocos divisórios de concreto) e elevação da pista em relação à rodovia. Todos estes itens visam garantir a segurança dos ciclistas em relação ao rolamento de tráfego e dos pedestres, bem como ordenando a relação pedestre-ciclista. O sistema que está sendo implantado funcionará como uma espinha dorsal para continuidade do modal cicloviário na cidade que, futuramente, poderá ser expandido para Conselheiro Paulino e Olaria.

Para o subsecretário de Projetos do Escritório de Gerenciamento de Convênios e Projetos (EGCP) da prefeitura, “ninguém iniciou uma solução simples para implantar um espaço ciclável na cidade, que é o proposto com essa obra. Nova Friburgo já poderia dispor há muito tempo desse modal, que tem um projeto totalmente exequível e mais orgânico do que a ciclovia, uma vez que ela exclui o pedestre do percurso. Nossa ideia foi aproveitar o espaço existente com uma solução sustentável capaz de desafogar o trânsito e com baixo impacto ambiental”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.