O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.

Macaé se prepara para receber nove usinas termelétricas a gás

Macaé saiu na frente no setor de petróleo. E agora tem tudo para se tornar efetivamente a “Cidade da Energia”, consolidando-se como o maior polo de geração de energia termelétrica a gás do país.

Ao todo, estão em andamento no município nove projetos para construção de usinas que terão o gás natural como combustível. Juntas, elas devem gerar 1.500 empregos na fase de operação – sem falar em milhares de oportunidades de trabalho que serão geradas na fase de construção.

Das novas usinas, duas já receberam a certidão para instalação e já podem participar dos leilões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Investimentos na ordem de R$ 3 bilhões, as usinas Vale Azul I e II terão capacidade de gerar 660 MW.

Os projetos farão parte do Complexo Logístico e Industrial de Macaé (Clima), que já registra a construção da Usina Marlim Azul. Tupi e Jaçã são outras duas térmicas também anunciadas. Já funcionam no município a UTE Mário Lago e a EDF Norte Fluminense.

O novo Marco Legal do Gás deve contribuir com o processo de expansão do setor termelétrico em Macaé. Aprovado no dia 2 de setembro, o Projeto de lei 6407/13 mudou o regimento para exploração de gasodutos em solo brasileiro. A partir de agora, todas as empresas que envolvam atividades de gás natural e petróleo poderão atuar apenas com uma autorização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

– Macaé, ao lado de Campos, vem puxando a retomada de empregos no estado do Rio neste ano, demonstrando a força econômica do interior. Com a instalação das usinas termelétricas e sua grande capacidade industrial já instalada, o município soma forças fundamentais para que o Norte Fluminense reforce ainda mais sua vocação energética”, avalia Francisco Roberto de Siqueira, presidente da Firjan Norte Fluminense.

Vantagem logística

A vantagem logística de Macaé é enorme. O município recebe uma parte expressiva do gás natural extraído na Bacia de Campos, que chega à terra através de gasodutos ao Terminal de Cabiúnas (Tecab) e dali é distribuído para as refinarias.

Não por acaso, os principais projetos na área de energia e logística estão surgindo ali perto. Um deles é o Terminal Portuário de Macaé (Tepor), instalado no bairro São José do Barreto. Será um terminal especializado em atender a demanda da indústria de apoio às atividades de óleo e gás, contando com uma área em terra de 6 milhões de m2 e pátios para estocagem e armazéns alfandegados. Está incluído no projeto do Tepor a implantação de uma Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN).

Na retroárea do Tepor, começou a ser implantado o Complexo Logístico e Industrial de Macaé (Clima), um empreendimento que vai receber indústrias, empresas de logística, comércio e hotéis, sendo um fator de geração de novas oportunidades de negócios. O Clima já registra a construção da Usina Termelétrica Marlim Azul.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais