Fêmea do lobo-guará resgatada em Cantagalo não resiste e morre

Lobo-guará resgatado em Cantagalo não resiste e morre

A fêmea do lobo-guará resgatada pelo Corpo de Bombeiros no dia 02/11 nas proximidades do Trevo da Aldeia, em Cantagalo, não resistiu e morreu na madrugada desta quinta-feira (07).

O animal havia sido levado para os cuidados da Drª Josiane Leitão Abreu. Trata-se de uma fêmea do lobo-guará que se encontrava muito debilitada e recebeu os primeiros socorros assim que chegou à clínica, onde foram ministrados antibióticos.

Em vídeo, a veterinária disse que as queimadas prejudicam a fauna, fazendo com que os animais saiam em busca de alimento devido ao desequilíbrio no seu habitat natural, causado pelo homem.

No dia 25 de outubro, um lobo-guará foi visto fugindo de um incêndio em vegetação no município de Miracema, no Noroeste Fluminense. O coordenador da Defesa Civil do município gravava um vídeo das chamas quando se deparou com o animal correndo do fogo.

Considerado a maior espécie de canídeo das Américas, o lobo-guará não tem nada de mau, nem é agressivo. Ele é apenas curioso e pode se aproximar das povoações, assustando algumas pessoas.

O lobo-guará vive em regiões abertas, como campos e matas de capoeira. Quando seu ecossistema é afetado, ele é obrigado a procurar refúgio em outro fragmento de mata.

Diante de tantos problemas, não é de se assustar que ele se encontra classificado como vulnerável à extinção pela IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais).