Pastora é encontrada morta dentro da geladeira no Sul Fluminense

Pastora Yone Angelica Maximo dos Santos é encontrada morta dentro da geladeira no Sul Fluminense

Uma pastora foi encontrada morta por familiares dentro de uma geladeira em Miguel Pereira, na região Sul Fluminense, no sábado (28/09).

Yone Angelica Maximo dos Santos, de 47 anos, estava desaparecida há alguns dias segundo a família.

De acordo com o irmão da vítima, eles desconfiaram do sumiço e ao verem uma notícia de que o companheiro dela estava morto em São Paulo, após uma troca de tiros com policiais na última quarta-feira (25), foram atrás dela em casa.

O carro usado por ele estava com os documentos de Yone e a vítima era pastora e juíza de paz, entre outras funções, celebrava casamentos religiosos e tentava mediar pequenos conflitos.

O laudo do exame cadavérico da pastora Yone Angela Máximo dos Santos, encontrada morta dentro da geladeira da própria casa, apontou que a vítima morreu por asfixia mecânica, o que indica que ela pode ter sido enforcada ou estrangulada. De acordo com a polícia, o assassino ainda usou um arame e um lençol para amarrar e amordaçar a vítima.

A Polícia Civil trabalha com a hipótese de feminicídio. O principal suspeito é Luan Nilton Martins, de 30 anos, com quem a vítima viveu durante algum tempo. Em dezembro de 2018, Yone chegou a registrar queixa na 35ª DP (Campo Grande) dizendo que estava sendo ameaçada pelo companheiro. Luan foi morto ao trocar tiros com policiais militares de São Paulo, um dia após a vitima ser vista com vida pela última vez.

O corpo de Yone foi encaminhado para IML (Instituto Médico Legal) de Barra do Piraí e foi enterrada nesta segunda-feira (30/09) no cemitério Jardim da Saudades, em Paciência, às 14h na capela dois.

Carro de Yone foi usado em tiroteio com duas mortes em SP

O motorista que matou um policial militar em São Manuel (SP) e morreu em uma troca de tiros com outros três policiais usava o carro de Ione durante o tiroteio. O caso aconteceu em um posto de combustível na última quarta-feira (25).

Luan Nilton Martins bateu com o carro e, ao ser abordado pelo policial, atirou contra Felipe Atanazio, que tinha 24 anos, e outros três PMs que estavam no local. Além do tenente que morreu, outros dois policiais ficaram feridos.

Leia também: Pastor nega que teria prometido ressuscitar mulher de idoso, em Pádua

Serra News

Serra News

O melhor portal de notícias da Região Serrana do Rio de Janeiro.