Implantação da escola militar em Petrópolis causa polêmica

Implantação da escola militar em Petrópolis causa polêmica

Após o anúncio feito pela Prefeitura, no dia 8 de julho, da implantação da unidade de escola militar na cidade de Petrópolis, rumores sobre a utilização do Liceu Municipal Carlos Chagas Filho, para execução do projeto, entra em discussão.

A polêmica é tão grande que a comunidade, representada pelos professores, alunos, funcionários e amigos do Liceu Municipal, vieram propor um abaixo-assinado virtual que deverá ser encaminhado às autoridades competentes.

Na reunião onde o anúncio da implementação da escola militar no município foi realizado, o deputado Sérgio Fernandes, destacou que a unidade será uma escola a mais. “Não haverá fechamento de nenhuma unidade, nem substituição de uma escola tradicional para uma militar. É uma nova unidade, ela se soma à rede estadual em Petrópolis. Isso é muito importante frisar, porque são mais vagas, mais opção em educação”, destacou o deputado que estava acompanhado do prefeito Bernardo Rossi e do secretário de Estado de Educação, Pedro Fernandes, na sede da Secretaria de Estado de Educação, no Rio.

De acordo com os envolvidos com o abaixo-assinado, a Unidade de Ensino passará a atender alunos do Ensino Médio quando for transformada em escola militar. Atualmente a escola atende cerca de 510 alunos e 6 comunidades do seu entorno e, caso haja confirmação do fechamento da escola, provavelmente não contemplará esta mesma quantidade de alunos.

O texto que explica sobre o objetivo do abaixo-assinado virtual demonstra também a preocupação com o deslocamento dos alunos que serão transferidos para outras escolas da rede municipal, caso o Liceu venha a ser transformado em escola militar, uma vez que a escola municipal mais próxima não tem capacidade física para suprir tamanha demanda de vagas. Além ainda da dissolução do quadro de funcionários que contempla cerca de 60 profissionais, dentre eles professores, merendeiras, inspetores e zeladores.

Em nota, a Prefeitura de Petrópolis explica que ainda não há definição sobre o local onde a escola militar irá funcionar e quando for implementada será em parceria com o Governo do Estado.

Um comentário em “Implantação da escola militar em Petrópolis causa polêmica

  • 11 de setembro de 2019 em 18:21
    Permalink

    Se batalhões de policiai Militar não resolve nada só piora,Ex: em Santo Antônio de Pádua não tinham facções, implantaram o 36 BPM em Pádua, e emergida chegou as facções. Outro Ex: Beford Roxo, foi só implantar um batalhão de polícia e acabou com a cidade, o crime aumentou 300%.

Fechado para comentários.