O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.

Petrobras reduz preços da gasolina, diesel e gás de cozinha; veja os valores

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, anunciou que os preços da gasolina, diesel e GLP (gás liquefeito de petróleo, o gás de cozinha) vão cair para as distribuidoras a partir de quarta-feira (17/5). A estatal anunciou uma nova política para precificação de combustíveis nas refinarias e o fim da paridade de importação.

  • Gasolina: de R$ 3,18 para R$ 2,78 por litro (redução de R$ 0,40, queda de 12,6%)
  • Diesel: de R$ 3,46 para R$ 3,02 por litro (redução de R$ 0,44, queda de 12,8%)
  • GLP: de R$ 3,22 para R$ 2,53 por quilo (redução de R$ 8,97 por botijão de 13 kg, queda de 21,3%)

Preço para distribuidoras não é o preço final para o consumidor

Repasse de preço depende de cada revendedor. O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, afirmou que, no posto, o litro da gasolina deve cair, em média, de R$ 5,49 para R$ 5,20; o diesel S10, de R$ 5,57 para R$ 5,18.

Botijão de gás deve ficar abaixo dos R$ 100 pela primeira vez desde outubro de 2021. Segundo Prates, com preço médio ficará em em R$ 99,87 o botijão de 13 kg.

Nova política de preços

Petrobras anunciou nova política de preços para os combustíveis no Brasil. Desde outubro de 2016, a empresa calculava o preço dos combustíveis com base em valores do mercado internacional, o que aumentou nos últimos anos a frequência dos repasses de preços aos consumidores.

Abandono do PPI (Paridade de Preços Internacional). Por essa regra, o dólar e a cotação do petróleo influenciam diretamente o preço da gasolina e do diesel vendidos no Brasil.

Os reajustes continuarão sendo feitos sem periodicidade definida. Mas, segundo a companhia, o objetivo é evitar o repasse das cotações internacionais e da taxa de câmbio para os preços internos.

Empresa não deixou claro a regra que irá balizar os preços a partir de agora. Segundo comunicado enviado na terça-feira (16/5), a nova política de preços vai usar “referências de mercado” como o custo alternativo do cliente, valor a ser priorizado na precificação, e valor marginal para a Petrobras. “O custo alternativo do cliente contempla as principais alternativas de suprimento, sejam fornecedores dos mesmos produtos ou de produtos substitutos, já o valor marginal para a Petrobras é baseado no custo de oportunidade dadas as diversas alternativas para a companhia dentre elas, produção, importação e exportação do referido produto e/ou dos petróleos utilizados no refino”, afirmou.

Veja também