O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.

OMS diz que nova onda de Covid-19 na Europa é alerta para o mundo

A Organização Mundial de Saúde (OMS) deu um alerta de saúde para o resto do mundo sobre as condições sanitárias da Europa em relação ao vírus da Covid-19. A organização sinaliza uma situação preocupante e que pode provocar, até fevereiro de 2022, mais de 500 mil mortes.

Na França e Alemanha, a determinação para a aplicação da dose de reforço da vacina passa a valer como tentativa de conter o avanço do vírus. Desde outubro, a França teve um aumento nos casos, com uma taxa de incidência de 62 casos por 100 mil habitantes, acima do limite de alerta.

Já na Dinamarca, a solicitação da comprovação da vacinação passa a valer para pessoas que desejam entrar em bares e restaurantes. Na Áustria, pessoas que não se vacinaram serão impedidas de entrar em determinados estabelecimentos, como cafés, restaurantes e cabeleireiros.

Desde o último verão, o Reino Unido vem tomando atitudes pouco flexíveis quanto ao uso de máscaras e o passe de vacinação para a população. Apesar da união estar longe de um confinamento de inverno, como disse o assessor do governo de Boris Johnson, pessoas elegíveis continuam recebendo a dose de reforço da vacina.

No Leste Europeu, a Rússia passa por um número de 8.100 mortos nos últimos sete dias. Em seguida, a Romênia e a Bulgária seguem com um percentual de vacinados de apenas 40% e 27% dos adultos, respectivamente.

Alerta

Com um relaxamento nas medidas de contenção do vírus e insuficiência na cobertura vacinal, a Europa é usada como chamada para o resto do mundo para que não se repita um certo tipo de padrão, de acordo com a OMS. No início de outubro, foram ultrapassados o número de 5 milhões de mortos pela Covid-19 em todo o globo, o que põe o resto do mundo em cautela.

Brasil

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o cenário de diminuição das contaminações se deve à Campanha de Vacinação, que atingiu na terça-feira (9/11) a marca de mais de 279 milhões de doses aplicadas e quase 88,8% da população-alvo vacinada com a primeira dose.

Até o momento, segundo o governo federal, foram distribuídas mais de 344 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Dessas, mais de 279 milhões foram aplicadas.

Para a Campanha da Vacinação de 2022, o governo federal informou que garantiu mais de 354 milhões de doses: 100 milhões da Pfizer e 120 milhões da AstraZeneca e mais 134 milhões de vacinas, remanescentes da campanha de 2021, que serão utilizadas no próximo ano.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais