O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.
lateral-160×200
lateral-160×200

Atletas de Cantagalo vão defender Seleção Brasileira de Futebol de Amputados

Fabricio Ferreira Garcia, de 35 anos, e Marcos Alexandre da Silva, de 29 anos, em comum possuem a mesma naturalidade, uma vida de desafios e superações e um amor incansável pelo futebol. Duas personalidades diferentes, duas vidas distintas e duas histórias que se cruzam rumo a um objetivo comum: defender o Brasil na Seleção Brasileira de Futebol de Amputados na Copa do Mundo da modalidade, em 2022, na Turquia.

Os atletas são naturais de Cantagalo, na Região Serrana do Rio, e foram recentemente convocados para participarem da Copa do Mundo de 2022, na Turquia. O Futebol de Amputados é uma adaptação do futebol convencional que foi desenvolvido na década de 80, nos Estados Unidos, permitindo que pessoas com amputação ou má-formação de membros pudessem jogar com sucesso. O Brasil é uma potência mundial, pois consagrou-se campeão em quatro edições de Campeonato Mundial.

Fabrício

WhatsApp Image 2021 09 02 at 17.27.17 1

O atleta Fabricio Ferreira Garcia, de 35 anos, é nascido e criado no município de Cantagalo. Hoje, ele reside em Rio das Ostras, onde encontrou novas oportunidades. Ele conta que sofreu um acidente de trabalho em uma fábrica de cimento no ano de 2007, e a partir dali, precisou rever os conceitos para sua nova rotina de vida. Os momentos difíceis e a mudança drástica no estilo de vida não puderam ofuscar o seu brilho.

“Descobri o Futebol de Amputados em novembro de 2007, após o acidente de trabalho. Estava vendo televisão e passou uma reportagem sobre a modalidade, onde o pessoal estava disputando uma copa do mundo na Turquia, em novembro daquele ano. Quando vi aqueles atletas jogando futebol de muletas, chutando, correndo, driblando e fazendo gols, me enchi de esperanças novamente a voltar jogar futebol, esporte que sempre fui apaixonado e vi ali uma oportunidade de voltar aos gramados e agarrei” – contou.

Fabrício se encheu de esperanças para aquela nova etapa de sua vida. “Consegui conhecer um dos atletas que estava lá na Turquia jogando o mundial, o Mario Mello, morador de Nova Friburgo, o cara é referência na modalidade e tetra campeão mundial com a seleção. Após conhecê-lo, comecei a treinar em casa e no meio de amigos batendo a famosa ‘pelada’, e só participei na primeira competição em 2010, numa Copa do Brasil, onde joguei pelo time da ASSAMA-Maringá, e pudemos ficar com o 3° lugar” – disse ele.

WhatsApp Image 2021 09 02 at 17.27.17

O atleta cantagalense não parou mais de jogar o futebol de amputados e começou a disputar competições na modalidade. Hoje, é colecionador de troféus e medalhas de tantas disputas já conquistadas. “Fui campeão Brasileiro, campeão da Copa do Brasil, campeão Paulista, campeão do 1° Open Osasco, campeão da Taça Verão de Rio das Ostras, entre outros” – conta ele, que conclui: “Para mim é uma satisfação enorme estar representando meu país e vestindo a famosa amarelinha! É um sonho que busco já algum tempo, e pretendo agarrar de vez agora, para estar no mundial de 2022 com a seleção brasileira na Turquia.”

Fabricio Ferreira Garcia representa hoje o Futebol de Amputados de Rio das Ostras (FARO), time que externa seu imenso carinho por ter idealizado e ajudado a criar e fundar no ano de 2017. Atualmente, disputa as competições mais importantes que é o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil na modalidade e, em São Paulo, o Campeonato Paulista.

Marcos

WhatsApp Image 2021 09 02 at 17.28.37

Marcos Alexandre da Silva, de 29 anos, também nascido na cidade de Cantagalo e crescido no distrito de Euclidelândia. A partir de um acidente automobilístico no ano de 2013, teve a perna amputada. A partir dai, precisou se readaptar as condições que a vida lhe impunha, na época com seus 19 anos, estava começando a se destacar nos campeonatos municipais de futebol pela região e precisou mudar bruscamente sua percepção de vida, “mas Deus foi maravilhoso comigo”, conta ele à redação do Serra News.

No ano de 2014 ele foi apresentado a um rapaz chamado Fabricio Garcia. “Chegando lá, já vi que ele também era amputado, e cheio de medalhas. Contou sua história e me apresentou o futebol para amputados. Tudo que sonhei veio átona novamente! Turbilhões de emoções tomou conta dos meus pensamentos e sentimentos, e foi ali que comecei a traçar meu caminho como atleta na modalidade de futebol para amputados” – disse Marcos Alexandre.

No ano de 2014, disputou seu primeiro campeonato, saindo como campeão e como eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro de Amputados. O time do Rio de Janeiro era a ANDEF, mas infelizmente devido várias situações, o clube encerrou suas atividades. “Então logo voltei a ficar frustrado, pois meu sonho talvez poderia se encerrar naquele momento. Mas surgiu uma nova oportunidade, um grande amigo Maurício Nery me convidou para jogar no Audax. Logo no ano de 2015, tivemos o primeiro Campeonato Internacional Open Brasil Osasco, onde se consagramos campeões também” – conta ele.

O atleta cantagalense disse que faltava algo na sua vida de atleta e que começou a buscar o sonho de vestir o ‘manto amarelo’ da seleção brasileira. Já em 2017, ele foi convidado para jogar um torneio na Espanha, novamente campeões. “Fiquei a perguntar, onde estaria errando para não ser convocado, pois meu histórico de atleta é de alto nível. Quando pensei em desistir, minha família e amigos novamente entraram em ação, me incentivando para não parar, pois teria um sonho a concretizar”.

WhatsApp Image 2021 09 02 at 17.28.37 1

Foi convidado para jogar na Ponte Preta de Amputados, e novamente, se consagrou campeão no campeonato, na ocasião que comandou o time como capitão. “Ali naquele momento minha história estava escrita, poderia parar de jogar naquele momento. Turbilhões de emoções, alegria, tristeza, força, choro, suor, me fez relembrar que tenho um sonho a concretizar ainda” – conta o atleta.

Em seguida, foi convidado a jogar na nova equipe de Ourinhos, no interior de São Paulo. “Novos companheiros, novas metas, novos sonhos, começamos a trabalhar e não demorou muito para chegar o tão sonhado dia de representar a nação brasileira. Existe trilhões de brasileiros, e muitos jogadores de qualidade, mas tudo mudou, hoje não levo como uma simples pré-convocação, pois darei o meu máximo, vou treinar com toda minha força, pois sei que minha recompensa será definitivamente naquele grande dia de estar na lista dos convocados para disputar o mundial na Turquia no ano que vem de 2022” – conclui entusiasmado o atleta Marcos Alexandre.

“Hoje deixo um recado a todos que me apoiaram, não vou citar nomes pois, seria ingrato se deixasse alguém de fora, o meu muito obrigado a minha família, meus amigos, e ao nosso grande Deus. Deixo meus agradecimentos à comissão técnica da seleção brasileira de futebol de amputados. Não poderia deixar de agradecer meu presidente do time de Ourinhos, aos meus companheiros, meu técnico e todos que nós ajudamos no dia a dia. Nunca deixe de sonhar, pois quando sonha de olhos abertos, ele se realiza, a palavra que deixo é gratidão.”

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais