O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.
lateral-160×200
lateral-160×200

Franceses em volta ao mundo passam pelo Norte e Noroeste Fluminense

Franceses em volta ao mundo passam pelo Noroeste Fluminense

Os franceses Bruno e Isabelle Frébourg, 63 e 60 anos, iniciaram em abril de 2006 um projeto audacioso: dar a volta ao mundo. No Brasil desde janeiro de 2020, eles passaram pelas cidades de Quissamã, no Norte Fluminense, e São Francisco do Itabapoana, no Noroeste Fluminense, esta semana, após passarem recentemente por outras cidades fluminenses, como Cabo Frio, na Região dos Lagos, e Paraty, na Costa Verde.

Uma das primeiras decisões dos viajantes ao conceber o plano foi a preferência a transportes como barcos e bicicletas, este último pouco utilizado pelo casal francês até o início do percurso.

“Iniciamos essa aventura com a proposta de conhecer novas tradições, culturas e comidas”, afirmou Bruno, que intercalava um pouco de português com inglês e francês. Ele contou ainda que tem uma filha de 38 anos que ficou muito preocupada com a aventura dos pais, mas não foi empecilho para eles seguirem adiante.

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) alterou os planos do casal em terras brasileiras, como aconteceu com várias pessoas que tiveram que abortar o que haviam planejado. O casal precisou retornar à terra natal em março, após a morte do pai de Bruno, e só conseguiu voltar ao Brasil em outubro, devido às medidas restritivas impostas aos voos internacionais.

Nas bicicletas, trazem os poucos utensílios indispensáveis para o trajeto de quase 150 mil km, que terá o Recife como ponto final, finalizando a volta ao mundo em 15 anos. Além disso, carregam um pedido de ajuda: “Nós não temos muito dinheiro. Precisamos de doações para comer”.

Hoje recebemos o casal francês, que estão dando a volta ao mundo. Já são 150 mil km percorridos, que terá o Recife como ponto final, finalizando a volta ao mundo em 15 anos.

Quando questionado sobre as características mais marcantes do país, o casal, junto há 40 anos, respondeu prontamente: a hospitalidade e o acostamento nas estradas. Eles contaram agradecidos que, onde vivem, em Bailleul, na região da Normandia, não existe essa faixa adicional.

Assim que chegaram a São Francisco do Itabapoana na quarta-feira (13), os franceses procuraram a prefeitura, localizada em frente ao portal da cidade. “Em todos os lugares por onde passamos, as autoridades nos ajudam oferecendo um lugar para descansar. Em cidades maiores, como Rio de Janeiro e São Paulo, passamos dois ou três dias. Mas aqui iremos ficar somente uma noite”, relataram.

Segundo eles, a estadia em território são franciscano foi curta, pois precisam chegar em Recife até oito de março. A data marca a expiração do visto e o início de uma nova etapa da volta ao mundo, quando vão embarcar em um barco em direção a Dakar, capital do Senegal. De acordo com o site “Roues Libres”, atualizado semanalmente pelos viajantes, países como Rússia, Coréia do Sul, Japão, Filipinas, Austrália, Viatnã e Canadá já foram percorridos.

A Prefeitura de São Francisco do Itabapoana, através da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio, deu suporte aos viajantes durante a passagem pela cidade, onde ficaram hospedados em Guaxindiba, uma das principais praias dos cerca de 60 km.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais