O portal de notícias que mais cresce na serra carioca.
lateral-160×200
lateral-160×200

Arthur, natural de Nova Friburgo, continua brilhando no Fluminense

Arthur, natural de Nova Friburgo, continua brilhando no Fluminense

Arthur, de apenas 15 anos, é nascido em Nova Friburgo. O meia, desde que chegou ao Fluminense, em 2015, é visto com muito potencial e apontado internamente como a maior promessa atual da base do clube. Arthur passará por “estágio” no CT Carlos Castilho. Os números dele ajudam a explicar a alta expectativa em cima do jovem, que já soma 128 jogos e 95 gols pela base tricolor.

E não é de hoje que a diretoria trabalha para “blindar” o menino, que é também destaque nas seleções de base do Brasil. No início do ano passado, o clube assinou um contrato de formação por quatro anos como forma de proteção para não perder o jogador. Pela legislação brasileira, este tipo de documento só pode ser feito após os 14 anos. Recentemente, ele firmou um pré-contrato que garante o primeiro vínculo profissional em fevereiro de 2021, quando completar 16. Antes desta idade, não são permitidos vínculos profissionais.

Apostando no talento do garoto, o clube preparou um projeto para o meia, que sempre frequentou uma categoria acima da sua na base. Trata-se de um planejamento de carreira de médio a longo prazo que foi elaborado pelo diretor executivo de futebol do Fluminense, Paulo Angioni. A ideia é, ao desafiá-lo em uma categoria com mais velhos, estimular seu desenvolvimento pelos próximos meses, com o cuidado para não “queimar etapas”, além da convivência no dia a dia. O projeto agradou o estafe do garoto. Seu empresário, Rodrigo Pitta, disse já ter recusado propostas do exterior e aposta no processo de formação.

Menino prodígio, Arthur coleciona, em Xerém, gols e títulos, do futsal aos campos. Em 2019, ele disputou 29 partidas pelo Fluminense, marcou 14 vezes e foi campeão da Copa Nike, com direito a gol do meio de campo na final contra o Grêmio, e da Copa Amizade Brasil-Japão, ambos torneios com caráter nacional. No Carioca, o Tricolor perdeu as finais para o Vasco e foi vice-campeão.

Pela seleção, mesmo sendo um ano mais novo do que a maioria, foi o camisa 10 no título do Sul-Americano Sub-15, disputado no Paraguai, e ganhou um torneio amistoso sediado na Granja Comary com Uruguai, Bolívia e Peru. Na final, também marcou um gol do meio da rua.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ciente disso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais