Molnupiravir: medicamento que pode travar a transmissão do coronavírus

Molnupiravir: medicamento que pode travar a transmissão do coronavírus

Um novo estudo sugere que existe um medicamento antiviral oral experimental capaz de travar por completo a transmissão do coronavírus em apenas 24 horas. O fármaco, chamado molnupiravir, evita que o vírus se multiplique e que se espalhe pelo organismo, avança o ‘Daily Mail’.

A equipa de investigação da Universidade da Georgia testou o medicamento em furões e descobriu que o mesmo impediu que os animais infectados com Covid-19 transmitissem a doença uns aos outros, contudo aqueles que não receberam o fármaco acabaram por contagiar outros.

Os investigadores, do estudo publicado na revista Nature Microbiology, indicam que se os dados pudessem ser aplicados também aos humanos, tal descoberta poderia significar que os pacientes com o novo coronavírus que receberem o tratamento tornam-se não infecciosos em apenas um dia.

Esta é a primeira demonstração de um medicamento disponível por via oral para bloquear rapidamente a transmissão da SARS-CoV-2, afirmou Richard Plemper, professor do Instituto de Ciências Biomédicas do Estado da Geórgia, num artigo publicado no site do instituto.

O molnupiravir é um medicamento antiviral desenvolvido na Emory University, em Atlanta, pela sua empresa de inovação em medicamentos, Drug Innovation Ventures at Emory (DRIVE), licenciada pela Ridgeback Biotherapeutics. O fármaco foi originalmente concebido para tratar a gripe, impedindo o vírus de se multiplicar, ao criar erros durante a replicação do RNA viral.

O medicamento está atualmente em ensaios clínicos de fase II / III, onde está a ser testado em três doses diferentes a cada 12 horas por cinco dias em pacientes com Covid-19, no entanto não se espera que os dados estejam disponíveis até pelo menos maio de 2021.

A equipa testou a capacidade do molnupiravir de impedir a disseminação do vírus em furões, por estes «são um modelo de transmissão relevante porque propagam prontamente a SARS-CoV-2, mas principalmente não desenvolvem doença grave, o que se assemelha à propagação da SARS-CoV-2 em adultos jovens», disse o co-autor, Robert Cox, no mesmo artigo.

Com o aumento de casos e mortes em todo o mundo, impedir a disseminação do vírus será a chave para conter a pandemia até que as vacinas estejam amplamente disponíveis.

Notamos logo inicialmente que o molnupiravir tem uma atividade de amplo espectro contra vírus de RNA respiratório e que o tratamento oral de animais infectados com o medicamento reduz a quantidade de partículas virais libertadas em várias ordens de magnitude, reduzindo drasticamente a transmissão, disse Plemper.

Fiocruz: 130 milhões de brasileiros podem receber vacina de Oxford em 2021

Serra News

Serra News

O melhor portal de notícias da Região Serrana do Rio de Janeiro.