Instituto anuncia soro contra a Covid-19 produzido com plasma de cavalos

Instituto Vital Brazil anuncia soro contra a Covid-19 produzido a partir do plasma de cavalos

Nesta quinta-feira, 13 de agosto, em sessão científica na Academia Nacional de Medicina, o médico Adilson Stolet, presidente do Instituto Vital Brazil, e Jerson Lima Silva, pesquisador da Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ) e presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), anunciaram o depósito de uma patente e a submissão de uma publicação oriundos dos excelentes resultados das pesquisas com soros produzidos por cavalos para o tratamento da Covid-19.

Depois de 70 dias, os plasmas de quatro dos cinco cavalos do Instituto Vital Brazil, no Rio de Janeiro, inoculados em maio de 2020 com a proteína S recombinante do coronavírus, produzida na Coppe/UFRJ, apresentaram anticorpos neutralizantes 20 a 50 vezes mais potentes contra o novo vírus do que os plasmas de pessoas que tiveram a doença. Foi criado, então, o soro anti-SARS-CoV-2, produzido a partir de equinos imunizados com a glicoproteína recombinante da espícula do vírus.

“O experimento com o plasma dos cavalos permite que o tratamento seja produzido em grande escala. Os animais não sofrem com o processo de retirada de plasma e, conseguimos, assim, uma grande quantidade de medicamento disponível”, explica Stolet, presidente do Instituto.

O pedido de patente refere-se ao processo de produção do soro anti-SARS-CoV-2, a partir da glicoproteína da espícula (spike) com todos os domínios, preparação do antígeno, hiperimunização dos equinos, produção do plasma hiperimune, produção do concentrado de anticorpos específicos e do produto finalizado, após a sua purificação por filtração esterilizante e clarificação, envase e formulação final. O trabalho envolve parceria do Instituto Vital Brazil, UFRJ e Fiocruz, e está sendo depositado no MedRxiv, um repositório de resultados preprint (pré-publicados).

“Há 103 anos, em 12 de agosto de 1917, Vital Brazil doava a patente de seus soros anti-peçonhentos ao Governo de São Paulo. E, há 119 anos, em 14 de agosto de 1901, ele entregava os primeiros lotes de soro para a população. É uma incrível coincidência nosso pedido de patente acontecer em um dia tão próximo a outras duas datas tão significativas para a saúde pública e para a nossa instituição”, celebra Adilson Stolet.

A pandemia por Covid-19 resultou, até agosto de 2020, em mais de 700 mil mortes e mais de 20 milhões de casos confirmados. No Brasil, a triste marca de 100 mil óbitos e três milhões de infectados foi atingida esta semana. Enquanto não há vacinas aprovadas e, mesmo posteriormente, em virtude da dificuldade em atender à grande demanda de vacinação em todo o mundo, o uso potencial da imunização passiva por terapia com soro deve ser considerado com uma opção.

Serra News

Serra News

O melhor portal de notícias da Região Serrana do Rio de Janeiro.