Apesar do frio intenso, você sabe por que não neva em Nova Friburgo?

Apesar do frio intenso, você sabe por que não neva em Nova Friburgo?

Apesar de estar frio, ter umidade e ser uma cidade alta, a formação de neve depende principalmente da latitude, correntes marítimas, e até mesmo da interação do clima local com outras regiões próximas. A dificuldade de nevar em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, se deve principalmente pela cidade estar numa Zona Tropical, a atmosfera nos seus níveis mais altos são mais quentes nessas regiões em relação as zonas temperadas.

Porém não devemos descartar por completo o fenômeno, há relatos de histórias contadas de pais para filhos na cidade que afirmam ter visto neve em locais mais frios da cidade, como no Pico da Caledônia e Macaé de Cima por volta de 1930, e outras épocas até a metade do século passado, porém não há provas científicas. Talvez o fenômeno descrito foi uma geada forte, sincelo, ou chuva congelada, todos esses fenômenos causam um efeito de nevada na paisagem quando são extremos. A interação do clima local com outras regiões também influência muito.

Nova Friburgo é muito próximo de regiões quentes como a Baixada Fluminense e Região dos Lagos, a cidade estar apenas a 23 km de distância de Cachoeiras de Macacu (Baixada Fluminense) em linha reta, isso dificulta ainda mais a formação de nuvens de neve na Região Serrana do Rio.

Diferente do Pico das Agulhas Negras em Itatiaia, no sul do estado, que estar a 63 km em linha reta de Angra dos Reis, ou seja, além apresentar uma atmosfera mais fria, pois apresenta uma latitude maior, Itatiaia apresenta também uma interação climática regional mais favorável para neve.

Esta analise também serve para explicar o fato de Petrópolis e Teresópolis não terem neve, mesmo apresentando temperaturas próximas ou abaixo de zero como na Serra dos Órgãos. O fato do inverno na região também ser mais seco influencia na formação de flocos de neve, pois precisa de bastante umidade para formar nuvens de neve.

Esta última frente fria que trouxe bastante umidade para região junto com uma grande massa polar foi um evento raro, geralmente quando uma frente fria provoca chuva trazendo umidade significativa nessa época no Sudeste, a massa polar não é tão intensa.

Nos tempos atuais devido ao aquecimento global e urbanização o risco de neve em áreas baixas de Friburgo é impossível, até mesmo em Macaé de Cima, mas em áreas extremamente altas como no topo do Parque Estadual dos Três Picos/ Pico da Caledônia existe uma raríssima possibilidade disso acontecer um dia, mas seria em pouquíssima quantidade.

Essa massa polar não chegará com força total nessa parte do Sudeste para provocar neve igual no Sul do Brasil. Mas no Pico da Caledônia por exemplo, as madrugadas mais frias do ano são estimadas temperaturas negativas entre -5 e -6ºC.

Em 8 de agosto de 2014, a temperatura estimada no topo da Caledônia foi de -9ºC, na qual a temperatura na estação oficial da cidade registrou apenas -1,1ºC (menor temperatura oficial da história recente da cidade) em Salinas (localidade rural do município) segundo o INMET. Vale lembrar que o Pico da Caledônia costuma ficar até 8 graus mais frio que Salinas e estar a mais de 2 mil metros de altitude e Salinas apenas 1.065 metros acima do nível do mar.

Uma estação meteorológica no Pico da Caledônia seria ótima para o turismo da região. A partir desta próxima segunda-feira (24 de agosto), são esperadas temperaturas próximas ou igual a 5 graus na região central/rural de Nova Friburgo, e no topo do Parque Estadual dos Três Picos/Caledônia, poderá registrar entre -3 e -5 ºC, caso não tenha muita nebulosidade.

Poderá também ter geada forte. E não são descartadas as chances de um novo recorde de frio para 2020 na cidade. Será a última grande massa de ar frio do inverno. Deverá ser um frio semelhante do último dia (03/08), na qual a cidade fez mais frio que o Anchorage (Alaska,EUA) e Ushuaia na Argentina.

Por João batista

Serra News

Serra News

O melhor portal de notícias da Região Serrana do Rio de Janeiro.