Visitantes da pandemia #11: Garça-branca-grande (Ardea alba)

DSC 7518 1 2 scaled

Hoje temos mais um visitante que esbanja elegância, sutileza e beleza. A garça-branca-grande possui corpo totalmente branco, contrastando com seu grande bico amarelo e suas pernas e pés pretos. Possui uma íris amarelada, parecendo vidro. Pesa entre 700 e 1700g e mede entre 65 e 104 centímetros.

Em seu período reprodutivo apresenta enormes egretas (penas especiais que se formam no período reprodutivo).  Estas penas por muitos anos, foram adornos de chapéus e roupas na Europa, levando a caça de milhares de indivíduos em pleno período reprodutivo. Ainda bem que hoje em dia é uma prática praticamente inexistente.

A garça-branca-grande vive aos grupos de animais mistos a beira de lagos, rios, banhados, pode juntar em bando de muitos (podendo chegar a mais ou menos 30 ou mais indivíduos) no dormitório e ninhal. Realiza deslocamento local ou até migração passando pelo Andes em épocas de enchentes. Pode ser encontrada em rio e lagos poluídos, e até mesmo em margens de portos, mesmo onde há sujeira de óleo e esgoto. É uma espécie que procura locais com água, podendo frequentar litoral, praias, mangues e até regiões serranas, brejos e alagadiços como Pantanal.

Ave - Garça-branca-grande (Ardea alba)
Podemos perceber suas egretas (penas maiores que aparecem no período reprodutivo)

Sua alimentação é curiosa, pois além de ser baseada em peixe, esta espécie pode consumir roedores, anfíbios, répteis, insetos, pequenas aves e até lixo. Ou seja, tudo que possa caber no seu bico. Eu já observei um indivíduo capturando passarinhos como pardal, de forma direta. Ela chegou discretamente e capturou o pássaro pequeno que não percebeu o perigo.

Uma curiosidade da sabedoria popular é que essa ave simboliza autoconfiança, estabilidade e premeditação cuidadosa. E que sonhar com a garça quer dizer que você alcançará muito sucesso através de seus esforços, além disso simboliza sua habilidade de mergulhar no seu subconsciente.

Essa espécie é fácil de ser observada, pois prefere áreas mais abertas, e próxima de água, e é facilmente avistada em voo. Certamente você já a viu passando por aí, pois aqui na nossa região serrana fluminense, inclusive nas cidades de Cordeiro e Cantagalo, elas possuem pontos de dormitório sendo comum ver bandos se deslocando ao fim da tarde.

Uma espécie elegante, porém, com alguns hábitos, inclusive alimentares, que não são tão elegantes assim, mas seu voo é um dos mais graciosos entre as aves.

Visitantes da pandemia #10: Sanhaço-cinzento (Tangara sayaca)

Gabriel Monnerat

Gabriel Monnerat

Geógrafo e fotógrafo da natureza com enfase em aves.