Lente Natural: Esquilo Caxinguelê ( Sciurus aestuans)

Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Família: Sciuridae
Subfamília: Sciurinae
Tribo: Sciurini
Género: Sciurus
Espécie: Sciurus aestuans (Linnaeus, 1766)
Estado de conservação: pouco preocupante


Este é o esquilo caxinguelê, o mais serelepe da nossa floresta, o roedor mais procurado pra avistamento. Este simpático animalzinho, cujo o nome significa “rato de palmeira”, é  muito ágil, indo a topos de palmeiras e voltando ao chão em segundos. Curiosos como eles são, estão sempre fuçando em restos de comidas,  até em frutas deixados pelo homem.


As fotografias foram clicadas no município de João Monlevade – MG, onde sua aparição é farta, devido a alta preservação de mata no local. Eles também podem ser observados na nossa Região Serrana do Rio de Janeiro, basta procurá-los. 


Um dos roedores mais ágeis para comer: seguram a fruta ou coquinho com a mão, o qual descasca com seus dentes, e o roem em uma velocidade incrível. São responsáveis por dispersão de sementes, por terem o habito de as enterraram para comer mais tarde. Como nem sempre encontram a semente enterrada, acabam por plantar uma nova árvore. 




Essa espécie arborícola (vive em arvores) é endêmica da América do Sul, sendo encontrado no Brasil, Guiana, Guiana Francesa, Suriname, Venezuela e nordeste da Argentina. Ocorre também nos pampas, sendo a única espécie por lá. Eles costumam preferir locais de mata primária, fechada, e até secundária, quando está em estado bem avançado de recuperação, mas podem ser avistados atravessando estadinhas e trilhas.


No Brasil, os índios o chamam de acutipuru, o que quer dizer “cutia emprestada”. Mas parecer mesmo com paca, só os maiores. O que podemos dizer sobre eles é que a sua cauda é um charme a parte, que o ajuda no equilíbrio sobre as árvores e fazer sinais para os companheiros. Durante o dia ela também serve pra tapar o sol, e a noite, funciona como um cobertor, já que dormem emboladinhos nela. 


Para quem pertente fotografá-los, o ideal e procurar locais com palmeiras de cocos pequenos, e locais mais calmos e fechados, pois em locais abertos (exceto os Pampas), só transitam rapidamente para não dar sopa para algum gavião que esteja rondando o lugar. Sendo assim é muito importante para a garantia de vida deles que as florestas sejam preservadas, e que seja dado valor às espécies de palmeiras. Vale lembrar que a extração de palmeiras nativas, como as das quais se extrai o palmito, é ilegal, constituindo crime ambiental.  Os esquilos são seres que dão a graça quando são avistados em florestas e trilhas, e logo são fotografados por quem tiver câmera. E você, já os viu por ai?

Acesse também meu InstagramFacebook!


Veja também: