Em Campos, Witzel inaugura centro de atendimento para jovens em semiliberdade

O governador Wilson Witzel participou, nesta terça-feira (15/1), da inauguração do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad), em Campos, no Norte Fluminense. O local atenderá 60 jovens que cumprem medida socioeducativa de semiliberdade na cidade. A unidade do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) funciona em um terreno doado pela Secretaria de Educação.

– Nós queremos que os nossos jovens tenham a oportunidade de estudar, porque não existe caminho alternativo ao estudo. Parabenizo a todos que se empenharam para tornar esse lugar realidade. Vamos dar direito a esses jovens de voltarem ao caminho correto. Precisamos devolver as pessoas para a sociedade de uma forma melhor do que recebemos – afirmou o governador.

A abertura do novo Criaad dá continuidade ao plano de descentralização das unidades de cumprimento de medidas socioeducativas, para que o adolescente do interior receba atendimento mais próximo à família, fortalecendo os vínculos afetivos e colaborando para a ressocialização.

– Com a inauguração do novo Criaad, nós proporcionamos um espaço que servirá de modelo para todo o Estado. Afinal, o benefício para os jovens será enorme, pois terão um local de qualidade para cumprirem suas medidas socioeducativas em busca da ressocialização. Vale lembrar que a função do Degase é exatamente esta de reinserir com dignidade e oportunidade estes jovens na sociedade – afirmou o secretário de Educação, Pedro Fernandes.

O plano de descentralização do Novo Degase se baseia no Plano de Atendimento Socioeducativo do Estado do Rio de Janeiro (Pase), que norteia todas as ações de planejamento e ações de intervenção na prática do atendimento ao adolescente em conflito com a lei.

– Vamos trabalhar para que possamos dar a esses jovens um futuro digno. Se não dermos tudo o que eles precisam para serem cidadãos, nós vamos perdê-lo. A responsabilidade é de toda a sociedade e do Estado – disse André Monteiro, diretor do Degase.

No projeto pedagógico da semiliberdade, o adolescente pode sair das unidades para estudar e trabalhar, retornando para passar a noite. Em caso de bom comportamento, o jovem pode passar o final de semana com a família. Eles recebem acompanhamento técnico de agentes socioeducativos, psicólogos, assistentes sociais e pedagogos, entre outros profissionais.

– Temos a unidade mais moderna de todo o estado. Campos passa a ser referência em cumprimento de medida socioeducativa. Isso é fruto de um trabalho em parceria entre o judiciário e executivo. Teremos 60 adolescentes cumprindo medidas em uma região livre de qualquer confronto, facilitando a socialização de todos. Espero que possamos ressocializar o maior número de adolescentes – explicou a juíza Maria Daniela Binato de Castro, idealizadora do projeto em Campos.