Operação prende 81 pessoas no Sul Fluminense, entre os detidos, 25 são policiais - Serra News | RJ

Notícias

16 de out de 2018

Operação prende 81 pessoas no Sul Fluminense, entre os detidos, 25 são policiais

Os alvos das equipes são suspeitos de integrar um grupo criminoso que atua nas cidades de Volta Redonda, Itatiaia e Resende.
Foto: Divulgação/ O Globo
Uma operação realizada nesta terça-feira (16/10) visou cumprir 100 mandados de prisão contra policiais militares e traficantes de drogas que atuam em municípios do Sul Fluminense, além de 191 mandados de busca e apreensão. Os alvos das equipes são suspeitos de integrar um grupo criminoso que atua nas cidades de Volta Redonda, Itatiaia e Resende. Até 13h30, 81 pessoas foram presas (77 com mandados e quatro em flagrantes). Entre os detidos, 25 são policiais militares.

O esquema envolveu 32 policiais militares do 28º BPM (Volta Redonda), entre soldados, cabos e sargentos. Os agentes são acusados de associação criminosa armada, corrupção, tráfico de drogas e roubo, entre outros crimes, devido ao envolvimento com traficantes em troca da permissão à venda de drogas e a liberação de criminosos presos e de drogas interceptadas.

De acordo com o promotor do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) Fabiano Cossermeli, a operação inicialmente visava a coibir o tráfico de drogas na região, mas avanços nas investigações chegaram aos PMs:

— Contamos com a ajuda do trabalho de inteligência da Polícia Militar. Em alguns casos foi feita perícia de voz para não cometermos injustiças, já que muitos policiais não usavam o próprio celular. A propina variava entre R$ 500 e R$ 2 mil por semana, ou até R$10 mil em casos de liberação de traficantes ou drogas.

Participam da ação o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público, além de equipes da Corregedoria da Polícia Militar e também da Polícia Federal. O coronel Goulart, comandante do 5 CPA de Volta Redonda, ressaltou a integração de esforços:

— Essa operação vai trazer dias melhores para a nossa região. Esperamos reduzir os índices de criminalidade. Os acusados estão envolvidos em várias ações criminosas, como roubos de carro e de rua, além do tráfico de drogas. A linha de comando é corrupção zero, sem omissão e com a busca de um Sul Fluminense bom para se morar — destacou o militar.

A operação foi deflagrada a partir de sete denúncias apresentadas pelo Gaeco que envolvem os 32 PMs com 57 traficantes de Volta Redonda (etapa que recebeu o nome de Operação Sideros) e com 13 de Itatiaia e Resende (etapa batizada de Operação Confinados). Durante as investigações — que tiveram o auxílio de interceptações telefônicas — foi constatado que os traficantes tinham a conivência dos policiais lotados no 28º BPM. Uma candidata a deputada federal pelo município de Resende é citada pelos traficantes durante as ligações. Segundo o promotor, "ela iria chegar em Brasília como um fantoche a mando do grupo criminoso". Por ter sido apenas citada, ela não fez parte dessa investigação. A candidata não conseguiu ser eleita. De acordo com a investigação, a indicação política também é um dos resultados do acordo entre policiais e traficantes.

Policiais 'chatos', reclamou traficante

De acordo com a denúncia do MP, um traficante chamou policias que encostaram duas viaturas, interditando via pública e parando carros, de "chatos". Os policiais teriam questionado os traficantes sobre a venda de drogas na região e apreenderam o entorpecente que estava com eles. Logo em seguida, os próprios policiais devolveram a droga pedindo para isso o pagamento de R$ 1.500, como já havia sido acertado.

Outro trecho da denúncia aponta um episódio em que um traficante lamenta por drogas que foram apreendidas. Nesse caso, o PM cobrou R$ 5 mil para liberação do material. O batalhão de Volta Redonda tem cerca de 670 homens, fazendo com que aproximadamente 5% da corporação seja parte do esquema. Segundo o MP, um dos PMs acusados já está afastado por motivos disciplinares anteriores a essa operação deflagrada.

700 agentes mobilizados

Equipes do Batalhão de Choque (BPChq) da PM deixaram o Quartel General da corporação de madrugada para dar apoio às equipes. Além disso, 85 militares do 20º BPM (Mesquita) foram chamados. Participaram da ação ainda 310 policiais federais, 38 agentes da Coordenadoria de Segurança e Inteligência do MPRJ e outros 300 PMs de outros batalhões.