Petrópolis: Filha que confessou ter matado a mãe se entrega e imagens são divulgadas - Serra News | RJ

Notícias

11 de out de 2018

Petrópolis: Filha que confessou ter matado a mãe se entrega e imagens são divulgadas

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Paloma Vasconcelos, de 21 anos, que confessou ter matado a mãe, a comerciante Dircelene Botelho Garcia, de 51 anos, em Petrópolis, se entregou à polícia na noite desta terça-feira, 9/10. O namorado dela, Gabriel Molter, de 26 anos, apontado como cúmplice do crime, também se apresentou na 105ª Delegacia de Polícia. Os dois já tinham mandados de prisão expedidos pela justiça e ficaram presos.

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 10/10, a Polícia Civil revelou que a jovem matou a própria mãe em Petrópolis porque teria sido obrigada a abortar um bebê no ano passado. Segundo a polícia, a mãe teria procurado uma clínica em Cabo Frio, na Região dos Lagos, e pagou R$ 2.500 pelo procedimento.

“Há um fundo passional. Ela disse que ficou grávida e a mãe teria forçado um aborto. Levou ela até Cabo Frio, no ano passado, e fez com que ela fizesse um aborto. A partir daí, ela coloca essa data como a data inicial, em que ela começa a pensar o que ela faria para matar a mãe”, disse o delegado Claudio Batista. Ainda segundo ele, o casal torturou a vítima por cerca de 40 minutos. O laudo da exumação do corpo apontou que Dircelene morreu por asfixia mecânica por sufocação direta. O vídeo abaixo divulgado pela polícia mostra a ação do casal.


André Prattes, delegado adjunto da 105ª DP, contou que após os jovens matarem a Dircilene, usaram um estetoscópio para confirmar se o óbito. A polícia também encontrou vários tipos de comida dentro dos armários. O pai da jovem, que é advogado e também faz a defesa dela, informou à polícia que outros alimentos dentro da casa podem estar envenenados. Uma perícia interditou o imóvel.

A Polícia Civil disse também que encontrou uma carta dentro de um caderno no quarto de Paloma. Um dos trechos dizia: "Você podia ter abortado, mas preferiu ter me criado com falta de seu amor materno. Você não sabe a falta que me faz".

De acordo com Claudio Batista, a carta "anuncia um sofrimento por achar que não tinha um tratamento que gostaria de ter por parte da mãe". 

O casal foi indiciado e responderá pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e dissimulação. Veja imagens do momento do crime, capturadas por uma câmera de segurança instalada no quarto pela própria vítima que desconfiava das atitudes da filha.

No sábado, 6/10, o casal já havia se apresentado à polícia e confessado o crime, mas não ficou preso por causa do período de anistia eleitoral. O crime aconteceu na noite de terça-feira, 02 de outubro.