Polícia Civil abre inquérito e MP vai apurar agressão sofrida por professor em Rio das Ostras - Serra News | RJ

Notícias

22 de set de 2018

Polícia Civil abre inquérito e MP vai apurar agressão sofrida por professor em Rio das Ostras


A Polícia Civil abriu inquérito na quinta-feira (20/09) para apurar a humilhação sofrida por um professor de Rio das Ostras, na Região dos Lagos, enquanto dava aula no Ciep Municipal Mestre Marçal. Segundo a polícia, foram identificados quatro alunos que apareceram em um vídeo insultando o professor de língua portuguesa Thiago dos Santos Conceição, de 31 anos.

O Ministério Publico Estadual também entrou no caso por meio da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Comarca de Rio das Ostras. O órgão informou que um dos estudantes é maior de idade e, por isso, vai comunicar o fato à Promotoria de Justiça Criminal, que possui atribuição para crimes cometidos por maior de idade.

"Em relação aos menores de idade, já estão sendo adotadas as medidas cabíveis ao oferecimento da representação pela prática dos atos infracionais análogos aos crimes de desacato, ameaça, constrangimento ilegal, tentativa de lesão corporal e dano ao patrimônio público", revelou o MP.

O aluno que fez as gravações na terça-feira (18/09) está entre os identificados pela polícia. Nas imagens, os estudantes do 9º ano aparecem insultando o professor, amassando e até comendo parte das provas. Um dos quadros foi parcialmente destruído e até uma pochete foi arremessada na direção do professor, enquanto ele escrevia no quadro. (Vídeo abaixo)


O professor chegou a questionar se a intenção era atingi-lo, e um outro aluno respondeu: "'Peraí' que agora vai acertar". As cenas viralizaram e uma série de ações ocorreu ao longo da semana na unidade de ensino, como uma reunião com os pais dos responsáveis no final da tarde.

Segundo a Secretaria de Educação de Rio das Ostras, nesta reunião os pais se desculparam e disseram que os filhos se arrependeram. Os alunos envolvidos chegaram a postar vídeos nas redes sociais se desculpando, mesmo assim, a Polícia Civil disse que vai querer ouvir todos os envolvidos nos próximos dias.

O professor acredita que a luta pela educação precisa continuar, mas revelou que ficou um sentimento de frustração ao lidar com os alunos do Ciep. “Hoje eu me sinto frustrado. Triste por não ter conseguido mudar aquela situação. Por não ter deixado aquele legado para os estudantes. É humilhante estar no seu trabalho e ter que renunciar a isso. Eu desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida”, destacou Thiago, que chorou ao lembrar do episódio.”, explicou.