Superbactéria pode estar circulando no Hospital de Cordeiro, diz Rede Educ - Serra News | RJ

Notícias

27 de set de 2018

Superbactéria pode estar circulando no Hospital de Cordeiro, diz Rede Educ

Criança de três anos morreu no Hospital de Cordeiro.
Criança de três anos morreu no Hospital de Cordeiro. 
Um menino de apenas três anos morreu na madrugada do último dia 22 de setembro no Hospital de Cordeiro, com suspeita de ter contraído uma superbactéria. Situação intriga os cordeirenses que até o momento não receberam explicações oficiais da unidade hospitalar. Segundo informações de familiares, ele deu entrada no hospital com sintomas de virose no dia 20/9 e faleceu em dois dias. 

O tio da criança (sem laudo técnico), informou que os médicos disseram que a causa da morte seria devido "a uma bactéria super resistente que assombra nossa cidade e que já matou outras três crianças". O Hospital de Cordeiro concedeu o laudo da morte da criança afirmando se tratar de uma "sepse generalizada", ou seja, uma infecção sendo caracterizada por um grave estado inflamatório que causa falência na circulação sanguínea, queda da pressão arterial e risco de morte se não for rapidamente tratada. 

A população cordeirense anda preocupada com a situação, pois o atendimento do Hospital de Cordeiro se limita em dizer que "não podem passar informações de pacientes". A condição de sepse (ou choque séptico), pode surgir devido a qualquer tipo de infecção, principalmente contraídas por bactérias, mas também por vírus, fungos ou parasitas, que provocam doenças como pneumonia, infecções da pele ou meningite, por exemplo. 

Segundo informações do comunicador Helênio, de um canal de TV chamado Rede Educ, a unidade hospitalar sequer realizou algum exame laboratorial para constatar de fato as mortes das crianças (vídeo), afirmando ser uma irresponsabilidade do hospital. Abaixo, você pode conferir o vídeo publicado pela Rede Educ de Cordeiro.



PRINCIPAIS CAUSAS

Qualquer infecção pode provocar uma sepse ou um choque séptico, que acontecem quando as toxinas produzidas pelos micro-organismos produzem uma reação exagerada do sistema imune. Alguns dos principais micro-organismos associados ao choque séptico incluem:

Bactérias: como Staphylococcus aureus, Streptococcus pneumoniae, Klebsiella pneumoniae, Escherichia coli, Pseudomonas aruginosa, Streptococcus, Neisseria meningitidis, dentre outras;

Vírus: como Influenza H1N1, H5N1, vírus da febre amarela ou vírus da dengue, por exemplo; 

Fungos: principalmente Candida.

As infecções que levam ao choque séptico podem surgir em qualquer local do corpo, e algumas das mais comuns são pneumonia, infecção urinária, meningite, erisipela, celulite infecciosa, infecção de feridas cirúrgicas ou contaminação de catéteres, por exemplo. 

QUEM TEM MAIS RISCO?

As pessoas que têm maior chance de serem afetadas por uma infecção grave e desenvolver choque séptico são as que estão hospitalizadas, principalmente na UTI, pois são locais onde os micro-organismos podem adquirir uma maior resistência aos tratamentos, onde há a introdução de sondas e catéteres ou realização de exames, que podem ser fontes de infecção, assim como porque o sistema imune do paciente pode estar enfraquecido devido a alguma doença.

Além disso, ser portador de doenças crônicas como diabetes mellitus, insuficiência cardíaca, aplasia de medula, insuficiência renal, assim como usar medicamentos imunossupressores como quimioterapia, corticóides, antibióticos ou radioterapia também pode tornar a pessoa mais predisposta à sepse e ao choque séptico, porque podem prejudicar a ação do sistema imune.

OBS: O Serra News RJ publicou este artigo unicamente com intuito de obter respostas oficiais da unidade hospitalar, já que até o término dessa matéria, nenhuma de nossas tentativas de esclarecimentos dos fatos obteve exito. Do mesmo modo, a população cordeirense nos envia vários relatos (não publicados por nós) e, confusos, pedem explicações, afirmando também que o hospital se nega a repassar. Vale credibilizar a nossa seriedade em apurar os fatos e dizer abertamente que a nossa redação estará acessível aos esclarecimentos, sempre pautando pela imparcialidade e prezando pela justiça, transparência e ética.

Nossa redação também se solidariza com todos os casos, desejando sinceras condolências aos familiares e amigos que amavam tanto essas crianças. "Se há algum conforto na morte de alguém que amamos, é o de saber que ele está indo para um lugar onde não há tristeza, maldade e dor."

Leia: Nota de Esclarecimentos da Secretaria de Saúde de Cordeiro sobre o caso