Manifestação de caminhoneiros deixa a RJ-116 em meia pista em Macuco

Foto: Divulgação/Leitor
Caminhoneiros protestam na RJ-116, no final da manhã desta quinta-feira (24/05) na altura do município de Macuco. A principal rodovia do interior fluminense está em meia pista e bloqueada para caminhões.

Os caminhoneiros atearam fogo em pneus para impedir o tráfego de outros caminhões. A greve afeta o abastecimento no interior fluminense. O protesto em Macuco é acompanhado por uma guarnição do 11º Batalhão da PM. Não há previsão para a liberação total da rodovia.

SITUAÇÃO NA REGIÃO SERRANA

Em Cantagalo e Cordeiro, desde essa quarta-feira a movimentação foi intensa nos postos. A situação se repitiu nesta manhã (24), até os postos acabarem com os combustíveis. A empresa que faz o transporte nos municípios, a empresa Expresso Pinto & Palma disse que reduziu os horários de ônibus até onde o combustível aguentar ou até que a situação seja regularizada. Já a rede de supermercados Superthal, disse que já existe falta de alguns mantimentos, principalmente legumes, frutas e verduras. Também informou que a situação seja regularizada em breve.


Em Nova Friburgo, os motoristas que tentaram abastecer o carro em algum posto no centro da cidade não encontraram combustíveis. Os ônibus urbanos já circulam com frota reduzida. 


Na RJ-130, estrada Nova FriburgoTeresópolis, os caminhoneiros seguem com o protesto pelo quarto dia seguido. Os carros e ônibus passam normalmente pelo local, mas o motoristas de caminhão são bordados para aderir ao movimento que pede a redução do preço do diesel.


A prefeitura de Bom Jardim suspendeu as aulas até que a situação volte ao normal. A falta de combustíveis afeta toda a Região Serrana e parte dos municípios do Norte e Noroeste Fluminense. Uma nova reunião na Casa Civil foi marcada para a tarde desta quinta-feira (24/05), em que o governo tentará dar uma solução para o impasse.



Ontem, em comentário à jornalistas, o presidente Michel Temer pediu trégua de dois a três dias para os caminhoneiros para se alcançar uma “solução satisfatória”.


Leia também: Nova reunião entre caminhoneiros e governo hoje


[ATUALIZADO ÀS 12H40MIN]

Veja também: